Quinta-feira, 5 de Agosto de 2004

O Seio Esquerdo

seio.jpg



  • Fotografia by Milton Carelo

Aconteceu.
Ninguém espera
E, na primavera,


Foi-se o seio esquerdo.
Foi-se o toque,
Ficou a sensação fantasma


Foi-se o alimento,
Ficou o vazio no peito.


Como ser mulher, sem o seio esquerdo?
Como ser mãe, sem a mama esquerda?
Como ser profissional, sem o outro par?
Como se olhar no espelho, nua?


O seio direito, encabulado,
Só e pendurado,
Emoldurando o luto
Do parceiro canhoto.
Está faltando o outro.


São dois
Originalmente dois.
Há que ser dois.


Nunca mais seus dedos
Apertando a carne macia e rosada
Nunca mais sua boca
A brincar de trincar e arrepiar
Nunca mais a dança sensual
Dos pares no banho
E entre lençóis de cetim.


Há um imenso vazio
Bem maior que a mama
Que atinge camadas profundas
Da própria natureza fêmea.


Há a ausência constante
Lembrada todo o tempo
Pelo traço da cicatriz
Dessa ferida que não fecha.


Há a dor, os ductos, os lutos
Mágoa infiltrante, ingrata, infeliz
Dias vividos sem perceber
E para quê viver?


Olhos que nunca repararam
Agora recusam-se a olhar
Não tem remédio
Não tem escolha


Tem alopécia, náusea e dor
Tem quimioterapia
Tem agonia
Solidão de espinho e flor


Tão falso o enchimento
Disfarça a roupa
Como peruca da alma
Que dribla olhares piedosos
De mulher barbada de circo
Que extirpa seus próprios caroços.


Os dias arrastados, as horas contadas
Quando volta ao normal?
Quando se acorda do pesadelo?
Ou tentar esquecê-lo...


É tão desigual, tão caolha
Fica sem sentido, tão velha
Um robusto, imponente, desejável
Outro, um traço doente, indelével, lamentável.



Luta diária e desanimada
Para sobreviver - corpo sem jeito
Mulher sem peito, que cala o grito
Tempo finito, seio bonito
Que se foi.


Lílian Maial



Nota: Lílian Maial é brasileira, médica, publica em diversos site tais como a Nave das Palavras, Luna’s, Jornal de Poesia, Comunidade Maytê entre outros. Super versátil,  sua poesia vai do clássico (Sonetos) ao Moderno (Poetrix), para conhecer mais sobre a Poesia de Lílian, basta acessar seu site pessoal: Lílian Maial Poesias.

publicado por Andrea Motta às 00:57
link do post | favorito
De JAC a 6 de Agosto de 2004 às 23:10
Agradeço o teu comentário no meu Local Imperfeito. Se fores por lá hoje de novo terás um novo desafio... perdoa mas não sou capaz de comentar este teu artigo.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.mais sobre mim

.Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Natal 2010

. Trova!

. Signa

. Violações

. Nudez

. 2009!

. Poema de Natal

. 25 de novembro dia intern...

. Incorporiedade

. Ação de Incentivo à Leitu...

.arquivos

. Dezembro 2010

. Agosto 2010

. Novembro 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds