Sexta-feira, 30 de Julho de 2004

Quero-quero

quero_quero1.JPG
publicado por Andrea Motta às 12:55
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Marulho

HoraDePescar_1024.jpg


A beira-mar, um sinistro silêncio
é cortado pelo chilreo dos quero-queros.
Mansamente raios solares com nuances
rubro-amarelas colorem o gris das nuvens
                                         mais dorminhocas...

Amanhece e o azul se espraia
entre o verde branco das vagas
atlântico-pacíficas, num espetáculo
                                     de tirar o fôlego.

É o tudo e o nada
presente na dança das gaivotas
que rasgam o azul celeste.

Na areia tu e eu
      cheiro de maresia...
                 e o céu ao alcance de nossas mãos.


Andréa Motta
14/07/04


   Nota : O quero-quero é uma ave do tamanho de uma perdiz e caracteriza-se pelo colorido geral cinza-claro, com ornatos pretos na cabeça, peito e cauda. A barriga é branca e a asa tem penas verde-metálicas. Apresenta um penacho na região posterior da cabeça; o bico e as pernas são vermelhadas e tem um par de esporões no encontro das asas.


quero_quero1.JPG


O quero-quero é sempre o primeiro a dar o alarme quando algum intruso invade seus domínios. É uma ave briguenta que provoca rixa com qualquer outra espécie. Quando Chilreia tem-se a nítida impressão de que grita a expressão "Quero-Quero", acredito que daí venha o nome. 

publicado por Andrea Motta às 00:02
link do post | comentar | ver comentários (42) | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Julho de 2004

Reflexo

marulho.JPG


   Apenas hoje te direi :
      espelho faze-me sorrir
      desvenda-me poro a poro
      reduze-me a átomo de ti
depois esquece.....


    Estas palavras descabidas
    esta fome de sentir-te em mim
esquece a pele....
               a minha boca te fumando
               o sabor, a umidade...

    Deixa só ficar,
                a silhueta refletida
                           nos raios do luar

Andréa Motta
14/07/04

publicado por Andrea Motta às 01:46
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Julho de 2004

Cilada

images3.jpgbluenight.gif 



  • Imagens retiradas da Web e re-trabalhadas

Na imensidão do oceano ausente
não espero nem mais um segundo
para sentir a noite roçar a pele.

Desnudo a alma criando no balbucio das estrelas
desejos imaginários, onde o fogo atravessa
o horizonte de nós dois abrasando o sorriso mutante.

Jogo duro,
         traço caminhos...
                        grande piada!
                                 são mesmo desatinos presos a garganta.


Andréa Motta
25/07/04

publicado por Andrea Motta às 02:37
link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Julho de 2004

Tu

escritor.jpg



  • Imagem retirada da Web

Tu semente de emoção
acende em meu peito
um clamor amiúde.

Tuas palavras delicadas
escamoteadas sob a máscara
de rude arrazoado
mais parecem veludo do que morte.

O sal que dos teus dedos escorre
                             tem sabor de chocolate
para quem lê as entrelinhas
                             dos pseudos hieroglifos.

Tu sempre tu
rega minha terra
espalha minhas folhas
tinge ignescente minhas paredes...


Andréa Motta
20/07/04

publicado por Andrea Motta às 01:44
link do post | comentar | ver comentários (34) | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Julho de 2004

Hoje não tem Poesia

 É dia de festa, o Brasil com a equipe B
 bate a Argentina  nos pênaltis e
 conquista a
Copa América-2004.


brasil_gigante.jpg


 Eu não poderia deixar de prestar esta pequena homenagem
     à SELEÇÃO CANARINHA, afinal ser campeão é sempre bom,
     mas, ser Campeão em cima da Argentina é muito melhor!


brasil.gifAndréa Motta</span></strong>

publicado por Andrea Motta às 01:42
link do post | comentar | ver comentários (34) | favorito
|
Sexta-feira, 9 de Julho de 2004

Pier

meama.jpg



  • Imagem retirada da Web

Já não sei se grito
                        ou se murmuro
este desejo intenso que aflora
nas madrugadas em que silenciosamente,
invades meus sonhos
                         e possuis a minha alma.

Já não sei se grito
                         ou
                           se murmuro,
quando sinto o enlace dos teus braços
no meu corpo e a pele das tuas pernas
penetrando as vísceras do meu sub-consciente.

Eu não sei se grito
                          ou se murmuro
esta volúpia imensa que ao mesmo tempo
entorpece e agita meus sentidos ..
trazendo-te noite após noite, em cada sonho.

Se eu gritar ou murmurar,
                             compreende
é porque não posso mais calar este veemente
desvelo de me transformar em aragem
de ser levada pelas correntezas para acordar
feito calmaria, sob as dobras dos teus lençóis.

Andréa Motta
08/07/04


Nota: Estarei viajando nos próximos 10 dias, motivo pelo qual deixarei de atualizar este espaço, bem como, de visitar os blogs de amigos.


Aproveito para agradecer a todos as visitas e o carinho de suas sempre gentis palavras.


 

publicado por Andrea Motta às 01:57
link do post | comentar | ver comentários (56) | favorito
|
Quinta-feira, 8 de Julho de 2004

Garatujando

3_pen-and-paper.jpg


Escrevo p'ra não perder
                              o traquejo
p'ra não deixar acumular
esta maldita ansiedade
       que tenta me domar


Brinco
   com as palavras
quando desconcertantes
                          imagens
    invadem o meu pensar


Se ponteio
     ou pontuo
          nenhuma diferença fará
quero apenas garatujar.


Andréa Motta
25/04/04

publicado por Andrea Motta às 02:13
link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Julho de 2004

Quando e até quando?

Por-do-Sol01_1.JPG



  • Fotografia by Andréa Motta

Tantas inquietações...
tanto egoísmo e ganância
habitarão corações...?
 
Talvez.....
quando e até quando homens e mulheres
passem a ver o mundo com os olhos da alma,
competindo menos..doando-se mais...
vivendo cada minuto como uma extensão de outro minuto...
amando mais.
 
Quando houver o partilhar de cada emoção,
E a natureza vier a ser apreciada em todo seu esplendor,
seja a chuva miúda ou um pôr-de-sol.
 
Quando o tempo absorver o tempo
e sobrevier a calmaria.
Neste dia, não haverão tantos brados,
tantas lutas, tantas desigualdades.....


Andréa Motta
05/06/03

publicado por Andrea Motta às 03:35
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Julho de 2004

Façanha

18.jpg


Abrir o peito,
aconchegar ao colo
e aceitar a dor


Entrelaçar as mãos
encarar o leito doente
e desvendar fantasias


Estreito desfiladeiro
perdido
em devaneios.
 
Senzala descerrada
vôo de águia.
 
Arrancar da alma
raízes tramadas,
abrandando os gritos de revolta.


É façanha...
É façanha.


Andréa Motta

publicado por Andrea Motta às 03:14
link do post | comentar | ver comentários (38) | favorito
|

.mais sobre mim

.RAGNARÖK

Clique na imagem

.Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Natal 2010

. Trova!

. Signa

. Violações

. Nudez

. 2009!

. Poema de Natal

. 25 de novembro dia intern...

. Incorporiedade

. Ação de Incentivo à Leitu...

.arquivos

. Dezembro 2010

. Agosto 2010

. Novembro 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Minha Canção


Tua Canção
Música e Voz – Lara Santos
Letra Andréa Motta

on-line
blogs SAPO

.subscrever feeds