Quarta-feira, 31 de Março de 2004

Cumplicidade

56imagem161.JPG


Do alto do campanário
lanço-me em vôo cúmplice
com minha alma.
Em sinestesia efêmera
rasgo-me em conjecturas
e questiono mitos e desventuras.


Momentos de fugaz hipnose
explodem...
Em transparências carmim,
pressagiando complexas reflexões
cognitivas.
Cerro os olhos da alma baldando
o vôo pairado.


Dobro-me ao silêncio dos sentidos.


Andréa Motta
31/07/03

publicado por Andrea Motta às 04:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Imagens

f203072-ruiGoncalves1.JPG 



  • Imagem de Rui Gonçalves (Retirada do site 1000 imagens)

No toque natural
                dos teus dedos
em meus lábios entreabertos
                                    estilhaços


No torpor da mente
        o silêncio naufrago
                              da pele
                                devorando imagens


Andréa Motta
05/11/03


 

publicado por Andrea Motta às 04:27
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 30 de Março de 2004

Efeito Cênico

RETRO14.jpg


No ensaio da vida,
frágeis papeis encapelados
decoram cenas de glamour a medo


Impotente,
na inversão térmica do silêncio
sucumbe um grito de socorro,
preso à garganta


Renhido dilema
entre impressões digitais
e o orvalho.


Andréa Motta
31/01/2004

publicado por Andrea Motta às 00:18
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Março de 2004

Curitiba

largodaordem.jpg


Para comemorar os 311 anos de Curitiba ( Hoje -29.03) Poesia do Mainiere!


 Por entre araucárias
 encaro a manhã.


 Paisagem em urbano destaque
 ruas largas
 parques
 face moderna da civilização.


 Feira de artes
 Largo da Ordem
 é a moldura
 etnias se encontram
 e  reciclam culturas.


 Mutante escultura
 estás à altura
 de minha paixão.


Ricardo Mainieri

publicado por Andrea Motta às 23:42
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Catarina

catarina.bmp 


É madrugada...
Indomável,
            Catarina,
sopra...
       vem do leste,
tão rara,
       furiosa
       nuvem desgarrada....


Seu olho,
        desafia-dor,
                    frio,
a faz girar
         sobre o mar,
a impulsiona
         até o continente
                       abraçar...


Debates...
allures incertezas,
alí, paura...
lágrimas, acolá...
Todos se perguntam
               Quem é Catarina,
                                  quem é?


Agitada, ela enleia
desprende do solo,
     o suor do homem
            sulcando a terra
                             destelhando
                                  devastando...


Nas mãos transpiradas,
               medo...
no desenho da íris,
                galhos,
              arvores
                 telhas
                dano
                     breu...
corações enfartados,
               no silêncio do pavor.....


Perplexidade...
       destruição...
E, aqueles homens
       ainda discutem....


Quem é Catarina,
                   quem é?
                      tempestade?
                                 ciclone?
                                    furacão?


Enquanto isto....
               Reconstrução !


Andréa Motta
28/03/04


Nota: Catarina : Denominação dada ao ciclone ou tempestade extra-tropical ou furacão classe 1, que atingiu a costa do Litoral Sul do Brasil ( Santa Catarina e Rio Grande do Sul) na madrugada de 28/03/2004.

publicado por Andrea Motta às 17:10
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 28 de Março de 2004

Reflexão

monjolo1.JPG


A mensagem é de um amigo - Manuel Neves


Trago-a como um momento de reflexão :


"Poucas vezes fiquei assim em minha vida...perdido das palavras e dos significados, perdido das razões e das crenças, perdido até do sentir das emoções da vida que nos fazem bater forte o coração....perdido do mundo...e perdido de mim. 


A poesia não existe como forma rigorosa e metódica de comunicação, não existe como máquina perfeita e oleada, não existe como tempo calculado e medido, nem como corpo sem alma e coração.


 


A poesia somos cada um de nós que lança seu grito ao mundo, que jorra seu sangue fervendo pelas encostas íngremes da vida, que sente e se agita a cada momento como se fosse esse o primeiro ou último, tem a força inesgotável dum Deus de esperança, tem a beleza inigualável duma musa, tem todo calor do sol e do universo, e ao mesmo tempo tem a dor maior de seguir em frente continuando a sentir, sem vacilar, podendo morrer e ressuscitar, ou viver e se crucificar...mas seguindo em frente com suas novas formas, novas vestes, nova sabedoria, nova...sempre nova vida. ...(omissis)" - Manuel Neves


 

publicado por Andrea Motta às 05:12
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Sábado, 27 de Março de 2004

Branco

reflor_eucalipto1.JPG


Apraz-me respirar o aroma
desfragmentado dos eucaliptos
até meu corpo estremecer
e minhas pernas amolecerem


Atenta aos sinais que se espalham
pela natureza percebo o vínculo
de perfeição do Criador
- seja ele quem for -


Completo-me como criatura
na partilha do momento
Deixo meus braços se envolverem
na carícia do vento e meu espírito
em contemplação com ele voar


Mais uma vez me divido
ao longo do caminho para depois
somar forças alternadas
entre a água e o fogo


Assim vou
de gesto em gesto
respirando entre discórdias
             -   equilíbrio de trapezista -
                          cuja vista tenta em vão fixar
                                                                  o ponto
                                 o  final da corda bamba
                                                            o Juízo Final


Andréa Motta
27/02/04

publicado por Andrea Motta às 18:21
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Bastidores

loboindia.jpg


 São extremamente desagradáveis os caracteres
mudos e disformes aprisionados a garganta
Silêncio amarulento e inquietante.


Arde a boca do estõmago
no engano dos sentidos
Enladeirados desencantam
feito fantasias doiradas
desgastadas e largadas
pelas sarjetas.


Queima o brado amarrado
nas esquadrias paralelas das letras emudecidas
pela poeira das linhas pré-estabelecidas


Debrum
rendas
ornamentam falsas vitrines
estepes alimentadas pelo lobo interior
que não uiva - só observa.


Nem tudo, no entanto, é bastidor
por vezes os caracteres se libertam
do controle da psiquê
aí sim, têem ginga e força


Contagiam, liberam libido
permitindo aos dedos o grito,
o êxtase
Escorrem tal qual sêmem
tingem o papel com cores fortes


Até que se preencha o vazio
das mais diversas interpretações.


Andréa Motta
26/02/04

publicado por Andrea Motta às 18:14
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Março de 2004

Cansaços

eyesreinaldo.gif


Nas profundezas da noite
            Um encontro brando
                                    de cansaços
 
Enleia
        numa sensível sensualidade,
                                        o silêncio da íris


Andréa Motta
10/02/04

publicado por Andrea Motta às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Utopia

 boca.JPG


No insulamento do quarto
      uma luminosidade tênue
inspira longo devaneio


perco-me no silêncio sensual
                           a tua boca
para encontrar-me no passeio
                                 (casual)
dos teus dedos pela guimba


Andréa Motta
27.02.04.

publicado por Andrea Motta às 23:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.RAGNARÖK

Clique na imagem

.Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Natal 2010

. Trova!

. Signa

. Violações

. Nudez

. 2009!

. Poema de Natal

. 25 de novembro dia intern...

. Incorporiedade

. Ação de Incentivo à Leitu...

.arquivos

. Dezembro 2010

. Agosto 2010

. Novembro 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Minha Canção


Tua Canção
Música e Voz – Lara Santos
Letra Andréa Motta

on-line
blogs SAPO

.subscrever feeds